Ciclo vida selvestre

Em maio, Ciclo de Palestras do Zoo aborda Segurança Ambiental em Zoológicos

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas dá continuidade, neste mês de maio, ao Ciclo de Palestras, evento que tem por objetivo compartilhar informações acerca da biologia, manejo e clínica da fauna silvestre, além de outros temas de grande importância para o meio ambiente.

Intitulada “Segurança Ambiental em Zoológicos”, a próxima palestra acontece no dia 25 de maio, às 10 horas, no Auditório do Jardim Zoológico de Salvador, e será ministrada pela técnica em meio ambiente Carla Santos Guimarães.

O evento terá 41 vagas disponíveis e as inscrições podem ser realizadas abaixo. Informações através do telefone 71-3116-7954. As palestras não fornecem certificados.

SERVIÇO:
Segurança Ambiental em Zoológicos
Data: 25 de maio de 2017
Horário: 10:00h
Local: Auditório do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas

Inscrições aqui:

 

Confira a programação das próximas palestras:
29/06: A importância da Educação Ambiental para o Zoológico, com a técnica em meio ambiente Laís Correia Ramos Fernandes
27/07: Bioteirismo, com o técnico em meio ambiente, com o técnico em meio ambiente Lourival do Santiago Neto
31/08: Borboletário, importância ambiental e educacional, com a museóloga Márcia Alves Pereira
28/09: Manejo Clínico de mamíferos silvestres, com o médico veterinário Nestor Soto Blanco
26/10: Plantas tóxicas no zoológico de Salvador: quais e como utilizá-las, com a engenheira agrônoma Rosa Maria Cerqueira Gomes
30/11: Biologia, Conservação e Manejo de Serpentes, com o biólogo Thiago Alves Nilo
28/12: Clínica de Aves, com o médico veterinário Victor Pereira Curvelo

zoo9

Zoológico é opção de lazer para o feriado do trabalhador

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas estará de portas abertas nesta segunda, dia 1º de maio, feriado destinado aos trabalhadores. Os visitantes que tiverem o interesse de conhecer os mais de 1.600 animais do Zoo poderão adentrar o parque gratuitamente.

Com uma área verde de cerca de 250 mil metros quadrados, incluindo remanescente de Mata Atlântica, o Zoológico é um dos principais locais de lazer da capital baiana. Dessa forma, ao visitar o parque, o público pode conhecer e aprender sobre as diversas espécies que também estão em extinção.

Vale ressaltar que é recomendável o uso de protetor solar e o consumo de bastante água durante o passeio no Zoo. Outra dica importante é não alimentar os animais, já que as espécies possuem uma alimentação balanceada, preparada especialmente pela equipe de nutricionistas do parque.

O Zoológico de Salvador fica no bairro de Ondina e funciona de terça a domingo (inclusive feriados), das 8h30 às 17h, com entrada gratuita.

zoo-clinica-primatas_foto-divulgacao_ascom-inema

Palestra aborda primatas durante evento no Zoo de Salvador

O Zoo de Salvador recebeu na manhã desta quinta-feira (27) a palestra Clínica de Primatas em Zoológicos, ministrada pela médica veterinária Bernadete Seixas Cardoso, como parte do Ciclo de Palestras organizado pelo parque.

Com o auditório cheio, a técnica traçou um apanhado dos seus 35 anos de experiência com primatas, detalhando as doenças recorrentes a cada espécie e suas formas de tratamento.

“Acho importante falar sobre esse assunto para um público tão diversificado, uma vez que fala-se muito pouco sobre primatas nos cursos e universidades. A ignorância e a falta de conhecimento é a pior situação para lidar com primatas”, diz Bernadete.

O Ciclo de Palestras segue sua programação anual e tem como próximo tema Segurança Ambiental em Zoológicos, com a técnica em meio ambiente Carla Santos Guimarães e apresentação marcada para o dia 25/05, às 10h. As inscrições podem ser feitas através do telefone 71 3116-7954.

Zoo

Zoológico abrirá durante o feriadão de Tiradentes

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas funcionará normalmente durante o feriadão de Tiradentes, quando é lembrada a figura de Joaquim José da Silva Xavier, um dos grandes guerreiros que lutaram pela independência do Brasil. Os visitantes que tiverem o interesse de conhecer os mais de 1.600 animais do parque, poderão adentrar ao local, como qualquer dia normal.

Com uma área verde de cerca de 250 mil metros quadrados, incluindo remanescente de Mata Atlântica, o Zoológico é um dos principais locais de lazer da capital baiana. Dessa forma, ao visitar o parque, o público pode conhecer e aprender sobre as diversas espécies que também estão em extinção.

Vale ressaltar que é recomendável o uso de protetor solar e o consumo de bastante água durante o passeio no Zoo. Outra dica importante é não alimentar os animais, já que as espécies possuem uma alimentação balanceada, preparada especialmente pela equipe de nutricionistas do parque.

O Zoológico de Salvador fica no bairro de Ondina e funciona de terça a domingo (inclusive feriados), das 8h30 às 17h, com entrada gratuita.

Ciclo

Cuidados a primatas em zoológicos é tema de palestra no Zoo de Salvador

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas dá continuidade, neste mês de abril, ao ciclo de palestras mensais que tem por objetivo compartilhar informações acerca da biologia, manejo e clínica da fauna silvestre, além de outros temas de grande importância para o meio ambiente.

A próxima, intitulada “Clínica de Primatas em Zoológicos”, acontece no dia 27 de abril, às 10 horas, no Auditório do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, e será ministrada pela médica veterinária Bernadete Seixas Cardoso.

O evento terão 41 vagas disponíveis e as inscrições devem ser realizadas na administração do Parque, no bairro de Ondina, em Salvador. As palestras não fornecerão certificados.

SERVIÇO:
Clínica de Primatas em Zoológicos
Data: 27 de abril de 2017
Horário: 10:00h
Local: Auditório do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas

Confira a programação completa:
25/05: Segurança Ambiental em Zoológicos, com a técnica em meio ambiente Carla Santos Guimarães
29/06: A importância da Educação Ambiental para o Zoológico, com a técnica em meio ambiente Laís Correia Ramos Fernandes
27/07: Bioteirismo, com o técnico em meio ambiente, com o técnico em meio ambiente Lourival do Santiago Neto
31/08: Borboletário, importância ambiental e educacional, com a museóloga Márcia Alves Pereira
28/09: Manejo Clínico de mamíferos silvestres, com o médico veterinário Nestor Soto Blanco
26/10: Plantas tóxicas no zoológico de Salvador: quais e como utilizá-las, com a engenheira agrônoma Rosa Maria Cerqueira Gomes
30/11: Biologia, Conservação e Manejo de Serpentes, com o biólogo Thiago Alves Nilo
28/12: Clínica de Aves, com o médico veterinário Victor Pereira Curvelo

anta-zoo-divulgacao

Zoológico de Salvador comemora nascimento de anta

De portas abertas neste feriadão de Páscoa, o Jardim Zoológico de Salvador comemora o nascimento de seu novo habitante, que estará como atração para os visitantes do parque.

O recém-nascido filhote de anta, que completa nesta sexta (14) sua primeira semana de vida. O animal, que pertence a espécie dos maiores mamíferos terrestres do Brasil e tem seu estado de conservação no Brasil considerado como vulnerável (VU) está sob os cuidados da mãe no recinto do Zoo.

Apesar da má fama, são animais muito inteligentes, devido a enorme quantidade de neurônios que possui. São consideradas também jardineiras das florestas, têm um papel importante na preservação de biomas brasileiros como a Amazônia, o Pantanal, o Cerrado e a Mata Atlântica. Isso porque elas são grandes o bastante para se alimentar de frutas inteiras (com o caroço) e depois andar por um amplo território, depositando as fezes servindo como adubo natural.

O Zoo
Conhecido por ter uma exuberante área de mata, que funciona como verdadeiro laboratório vivo, além de ser pioneiro na preservação da fauna brasileira, o Zoológico de Salvador proporciona aos visitantes comodidade, interação e uma aprendizagem voltada à educação ambiental, além de possuir uma equipe de plantão para o atendimento nas mais variadas alas. São 1,6 mil espécies de animais, sendo 90% da fauna brasileira, um verdadeiro show de belas imagens e cenários.

Dicas ao visitante: Não alimente os animais, pois eles utilizam cardápio especializado. Nunca joguem neles garrafas, tampas ou quaisquer outros objetos, pois eles também sentem dor e sofrem com isso.

Cuidados quanto à exposição prolongada ao sol devem ser redobrados, principalmente, nos horários das 10 às 16h, quando os efeitos danosos são maiores. Para isso, recomenda-se o uso de protetor/filtro solar, chapéus, bonés, óculos escuros e roupas leves, além da hidratação.

O Zoo é aberto ao público de terça a domingo (inclusive feriados), das 8h30 às 17h, e a entrada é gratuita. Para agendamento e informações: (71) 3116-7952/53 ou 54.

DSC_0353

Zoológico mantém atividades durante o feriadão

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas funcionará normalmente neste final de semana, durante o feriadão da Páscoa. Os visitantes que têm o interesse de conhecer os mais de 1.600 animais poderão ter acesso normalmente ao parque que não funciona apenas nas segunda-feiras, dias em que o Zoo fecha para manutenção.

Com uma área verde de cerca de 250 mil metros quadrados, incluindo remanescente de Mata Atlântica, o Zoológico é um dos principais locais de lazer da capital baiana. Dessa forma, ao visitar o parque, o público pode conhecer e aprender sobre as diversas espécies que também estão em extinção.

Vale ressaltar que é recomendável o uso de protetor solar e o consumo de bastante água durante o passeio no Zoo. Outra dica importante é não alimentar os animais, já que as espécies possuem uma alimentação balanceada, preparada especialmente pela equipe de nutricionistas do parque.

O Zoológico de Salvador fica no bairro de Ondina e funciona de terça a domingo (inclusive feriados), das 8h30 às 17h, com entrada gratuita.

14911390621491051085WhatsApp_Image_20170401_at_09.32.44

Macacos do Zoo não oferecem risco relacionado à febre amarela

Cerca de 200 primatas, de diferentes espécies, vivem no Parque Zoobotânico de Salvador, localizado no bairro de Ondina. Apesar das dúvidas e apreensão de baianos e turistas, eles não oferecem risco à população de infecção por febre amarela. A coordenação do parque, que é ligado à Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema), tem recebido ligações e perguntas de visitantes e esclarece que não há motivo para medo desses animais nem para agressões a outros macacos que vivem na natureza.

“Os primatas são hospedeiros assim como nós, humanos. Mesmo que um macaco esteja doente, ele não é capaz de fazer a transmissão direta ao homem”, explica o coordenador e médico veterinário do Zoo de Salvador, Vinícius Dantas. O veterinário acrescenta que, “na verdade, a morte deles [primatas] serve como um alerta para a vigilância sanitária saber da presença do vírus e do risco da doença chegar aos humanos, mas não através do macaco. Temos que tratar esses animais como parceiros e não como vilões”.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), fragmentos do vírus da febre amarela foram encontrados em quatro macacos mortos na capital baiana, nos bairros de Vila Laura, Paripe e Itaigara. No entanto, o veterinário do Zoológico destaca que ainda são necessários exames mais detalhados para afirmar que os animais morreram por complicações da febre amarela. Em todo o estado, até o momento, 23 casos foram positivos para a presença do vírus em primatas.

Nenhum caso do tipo foi registrado entre os animais que vivem no Zoológico e algumas medidas de prevenção já foram tomadas pela equipe. “Infelizmente, não há vacina para esses animais. Algumas espécies são mais sensíveis à doença e o que estamos fazendo é colocar esses macacos em locais com uma tela de proteção que impede a passagem dos mosquitos. São medidas preventivas para diminuir o risco de ficarem doentes, mas as pessoas não precisam ter medo ou deixar de vir ao Zoológico”, afirma Dantas.

Atualização – Conforme boletim divulgado pela Sesab, na última sexta-feira (31), a Bahia não possui nenhum caso confirmado de febre amarela em humanos, com infecção dentro do território do estado. O boletim epidemiológico registra 16 casos notificados, sendo que nove encontram-se em investigação e sete foram descartados.

aniversario-de-salvador-468

Zoo parabeniza Salvador pelos seus 468 anos

Neste 29 de março de 2017, Salvador comemora seus 468 anos de existência, aplaudidos pelo Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, um dos cartões postais da cidade. Do Alto de Ondina, cerca 250 mil metros quadrados de área verde presenteiam a capital da Bahia com conforto térmico, qualidade de ar e abrigo para espécies da fauna e flora local.

Dentro do Parque encontra-se o Jardim Zoológico de Salvador, um outro presente à cidade, considerado um centro de referência na preservação dos animais silvestres ameaçados de extinção e pertencentes fauna brasileira. Desde 2007, o Zoo prioriza a conservação e promove pesquisas científicas com espécies silvestres da fauna e da flora nacional, com ações em cativeiro, além de programas de educação ambiental associados ao lazer e ao entretenimento.

O Zoo também contempla a capital baiana com uma clínica veterinária, museu, setores de nutrição, botânica, educação ambiental, pesquisa e conservação, além da quarentena, local que abriga os animais em tratamento de saúde e os recém-chegados.

Parte de todo encanto e de toda a história soteropolitana, o Parque Zoobotânico de Salvador parabeniza sua terra e se orgulha de contribuir diariamente pelo o seu crescimento sustentável.

Parabéns, Salvador!

Arara

Zoo comemora nascimento de arara-azul-grande

O inicio do ano de 2017 contabilizou pontos positivos para a equipe do Zoológico de Salvador que foi presenteada com o nascimento de dois filhotes de arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), espécie considerada um dos ícones da fauna brasileira, devido a sua beleza inconfundível, com coloração principalmente azul intenso, os filhotes nasceram no dia 18 e 22 de janeiro consecutivamente.

Segundo Ana Célly, coordenadora de biologia e responsável pelo setor das aves, o sucesso reprodutivo é fruto de um trabalho técnico de enriquecimento ambiental realizado por biólogos e veterinários do Zoo, o casal foi separado do grupo e colocado sozinho em um recinto fora de visitação. Ela ainda conclui pontuando a importância de reproduções em cativeiro de espécies da nossa fauna.

Presentes, sobretudo no Brasil, as araras azuis grandes fazem parte da mesma família dos papagaios, periquitos e maracanãs, chamados Psitacídeos. É considerada a maior espécie representante da família em todo o mundo. É uma ave monogâmica, ou seja, formam um casal constante até a morte de um dos indivíduos, em consequência, possui uma baixa taxa reprodutiva. E alguns casais só se reproduzem a cada dois anos. Após o nascimento, o filhote permanece sob os cuidados dos pais por mais de 100 dias até que ele esteja pronto para voar.

De acordo com a IUCN desde 2014 a posição da espécie é considerada vulnerável à extinção, sendo associada principalmente a perda de habitat, tráfico ilegal e caça para fins comerciais de suas penas.